Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 15 de dezembro de 2019.
23/06/2019
NOTÍCIAS
ONU estima que até 2050 terá mais plástico do que peixes nos oceanos
O plástico representa cerca de 80% de todo o lixo no mar, segundo dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2018. A expectativa da Organização é pior: até 2050, a quantidade de resíduos na água deve superar a de peixes. Esses resíduos incluem o lixo orgânico, reciclável e de rejeito. O orgânico pode ser transferido em adubo e o reciclável em um novo material utilizável. O de rejeito não pode ser reciclado nem compostado e tem como seu destino o aterro sanitário.

O professor de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), José Lailson Brito Jr., vê a situação dos mares como preocupante, pois não afeta somente a vida de animais marinhos, mas também altera as correntes marítimas e o clima de vários locais. Segundo a Greenpeace UK, a cada ano são despejados nos oceanos cerca de 12,7 milhões de toneladas de plástico.

Os canudos plásticos ficaram em 5° lugar na lista de itens mais coletados no mar no Brasil e em 7º no mundo, de acordo com a ONG Ocean Conservancy, em uma divulgação de 2017. Para se ter uma ideia, somente nos Estados Unidos são usados e descartados diariamente cerca de 500 milhões de canudos. Esse número daria para encher 46.400 ônibus escolares de plástico ou dar duas voltas e meia no planeta por dia só de canudos.

A vida útil de um canudo é, em média, quatro minutos, ou seja, o tempo suficiente de você terminar sua bebida, descartá-los e eles demorarem até 100 anos para se decompor. Outro dado alarmante: de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a poluição dos oceanos causou cerca de 2,9 milhões de mortes de animais marinhos, desde 2015. E é importante lembrar que a OMS é responsável em garantir o cumprimento do indicador ‘Meta de Desenvolvimento Sustentável’, cujo objetivo é reduzir, até 2030, o número de mortes causadas pela poluição dos oceanos.

Mas e o plástico biodegradável?

Os plásticos biodegradáveis decompõem-se em seus componentes mais simples pela atividade dos microorganismos ao entrar em contato com o solo, com a umidade, com o ar e com a luz solar, quando o ambiente é totalmente favorável à biodegradação. Os outros tipos de plástico não biodegradáveis são feitos com resinas petroquímicas e permanecem por muito tempo sem sofrer alterações.

Mas, os plásticos biodegradáveis não podem, simplesmente, ser descartados na natureza ou em aterros, pois não há ambiente propício para sua degradação nesses locais. O melhor destino para os plásticos biodegradáveis é a compostagem. Para que um plástico seja considerado biodegradável, ele precisa se degradar dentro de um período de tempo que não pode exceder a 180 dias, de acordo com as normas internacionais.

Em Santos a Lei proíbe os biodegradáveis

Por causa da falta da condição ideal de nossos aterros, nossa Lei 1.010 proíbe o uso dos canudos de plástico biodegradáveis. A Lei foi aprovada em 2018 e entrou em vigor no dia 02 de abril desse ano. A princípio, a Lei valeria a partir de janeiro de 2019 mas, a pedido de comerciantes, foi prorrogada para abril. Pode parecer pouco diante da enorme quantidade de lixo que o planeta produz, mas certamente a mudança de hábito da não utilização do canudo plástico tem impacto no meio ambiente. 

Atalhos da página



Redes Sociais

Telefone: (13) 3219-5707
Endereço do gabinete: Praça Tenente Mauro Batista de Miranda, nº 1 - Vila Nova - Santos/SP
Rede Corporativa e-Solution Backsite